Estresse e Ansiedade: Podem Causar Problemas Bucais?

Home - Blog - Estresse e Ansiedade: Podem Causar Problemas Bucais?

Estresse e Ansiedade: Podem Causar Problemas Bucais?
22 de Setembro de 2020

Estresse e Ansiedade: Podem Causar Problemas Bucais?

A placa bacteriana é o principal motivo das doenças bucais mais conhecidas. Além do tártaro, esse aglomerado de bactérias caracterizado por uma massa branca também pode causar cáries, mau hálito, gengivite e a periodontite - que afeta significativamente os tecidos de suporte dos dentes, como o osso e o ligamento periodontal.Fora o acréscimo da placa causada pela má higiene bucal, o estresse e a ansiedade também podem influenciar o surgimento dessas e outras doenças? A top responde para você!

É VERDADE QUE O ESTRESSE E A ANSIEDADE PODEM FAVORECER O SURGIMENTO DE DOENÇAS BUCAIS?

O estresse e a ansiedade podem causar muitos malefícios para a saúde de um modo geral. Além dos transtornos emocionais e mentais, o dentista revela que as condições também refletem em sérias complicações nos dentes e na boca e explica o real motivo disso acontecer: O estresse desencadeia a liberação de substâncias químicas chamadas de neurotransmissores que podem refletir e predispor a algumas doenças, levando à baixa da imunidade.

QUAIS DOENÇAS BUCAIS PODEM APARECER POR CONTA DESSES PROBLEMAS EMOCIONAIS?As principais condições que podem afetar a saúde bucal são:

- Aftas;

- Herpes bucal;

- Bruxismo;

- Mau hálito;

- Problemas gengivais, como gengivite e a periodontite;

- Transtornos relativos à musculatura e à articulação temporomandibular (DTM).

Além desses problemas, também podemos incluir a cárie quando ocorre a falta de escovação e do uso do fio dental. A ausência desses hábitos acontecem quando a pessoa está passando por uma depressão e, por conta da doença, acaba negligenciando o ritual da sua rotina de cuidados.

QUAL É A MELHOR MANEIRA DE TRATAR AS DOENÇAS BUCAIS QUE SURGEM COM O ESTRESSE E A ANSIEDADE?

Atentamos que quando as doenças bucais possuem causas emocionais devem ser tratadas com o máximo de atenção e com ajuda de outros profissionais, ou seja, a terapia precisa ser multidisciplinar: É importante avaliar se é uma situação temporária ou mais crônica e buscar ajuda especializada para o transtorno (psicologista ou psiquiatra), além do cirurgião dentista para controle ou tratamento dos efeitos.


Voltar para a Listagem
Fale Conosco